NOVOS ARTIGOS ABAIXO
LENDO

Não passaram da entrada

Cansados de tomar prejuízo para os policiais na Vila Aliança.

Os soldados do traficante Rafael Alves, o Peixe - chefe da Vila Aliança – resolveram tentar a sorte no reduto dos rivais.

Não muito longe.

Durante todo o dia de hoje, rolaram boatos na Vila Vintém em Padre Miguel, que os rivais do Terceiro Comando Puro iriam tentar a sorte por lá.


Até correntes de mensagens, rondaram nas redes sociais, avisando desse possível confronto.

No final da tarde, moradores me informaram que realmente os bandidos da Vila Aliança tentaram entrar na Vila Vintém.

Mas não passaram da entrada e nada aconteceu.

O possível “baque” dos rivais da Vila Aliança, foi comentado durante essa noite, mesmo não acontecendo nenhum confronto intenso.

Faz muito tempo que alguma facção rival não tentava invadir a Vila Vintém (ADA).

Puxando na memória, o único risco que os redutos do Celso Luis Rodrigues – Celsinho – é nas investidas de uma Milicia, que insiste em entrar nas localidades da Nogueira e do Sete Sete, também em Realengo.

Agora, se realmente foi verdade, ou se realmente eram bandidos ligados ao Peixe. Os bandidos da Vila Aliança foram audaciosos!

Sofrem todos os dias no seu próprio reduto, até com os comparsas do Complexo da Coréia, que torcem para a queda do Peixe todos os dias que a Policia entra na comunidade.


O quê motivou uma investida na Vintém?

Traficante Lacosta ou Lacoste da Serrinha - TCP

Walace de Brito Trindade, conhecido como lacostaLacoste ou Salomão. Integrante do Terceiro Comando Puro e principal homem do tráfico no Morro da Serrinha, em Madureira.

Lacosta é natural de Nova Iguaçu, mas dizem que iniciou sua vida no tráfico de Senador Camará e depois de algum tempo, fez parte do tráfico no Complexo da Serrinha, formado pelas comunidades da Serrinha, Fazenda, Patolinha, São José e Dendezinho.

Participou da guerra que envolveu a Serrinha (TCP) x Complexo da Penha (CV), onde os traficantes FB e CL tentavam dominar a Serrinha das mãos do traficante Dinho.

Ele não tem muitas histórias no tráfico e nem na sua facção atual, mas participou de um episódio de traições que aconteceram na Serrinha.

Guerra Interna na Serrinha


Em 2012, o traficante Jorge Porfírio de Sousa, o Dinho, foi executado pelos próprios comparsas no Morro da Serrinha. 

O Dinho era o chefe do tráfico na Serrinha, mas foi executado por praticar estupros e de matar moradores inocentes na comunidade.

Segundo o julgado pelo tribunal do tráfico da Serrinha, que executaram e abandonou o corpo em um carro próximo a comunidade.
Dinho ou Bafudo

Mas mal eles sabiam que um golpe estava se formando na Serrinha, onde os traficantes André Cavalo, Haxixe, lerdinho e Ki-suco, estavam tramando em dominar todas as comunidades do Complexo.

Depois de matarem o Dinho, foram para o morro do São José e se organizaram para um futuro golpe.

Mesmo entendendo os motivos para matar o Dinho, os traficantes Lacosta e Skol, irmão do 
Dinho, entraram em um acordo com o bonde do Haxixe, e dividiram as comunidades do Complexo da Serrinha.

Ficou da seguinte forma..

O Lacosta ficou na Serrinha, o Skol na Fazendinha, e o grupo ligado ao Haxixe ficou no morro do São José.

Com medo de tomarem um novo golpe na Serrinha, o Lacosta se uniu com o Skol e expulsaram o grupo do Haxixe da comunidade.

Skol, irmão do Dinho

Nessa guerra interna, o Lerdinho acabou morrendo e o Haxixe conseguiu fugir e procurou abrigo no Morro do Dendê, na Ilha do Governador. 

Morreu meses depois no pé do morro, quando foi surpreendido por um grupo do Lacosta, que fuzilou o traficante sem dó!

Depois dos conflitos, o Lacosta conseguiu imperar na Serrinha, e com o Skol ao seu lado.

Com passar do tempo o Lacosta ganhou um importante aliado, o traficante Menor P do Complexo da Maré, que na época era um dos homens mais importantes do TCP.

Lacosta o tratava como um professor, e dizia que era um pupilo do Menor P no mundo do tráfico.

Por muito tempo o Menor P dava seus “Pitacos” no Complexo da Serrinha, onde tentava organizar e dar algumas lições de administração para o Lacosta.

Chegando a enviar soldados e armas para ajudar os comparsas de Madureira.

Depois que o Skol foi morto em Dezembro 2013, em uma emboscada feita por um aliado da Serrinha, o Menor P patrocinou algumas bocas de fumo que era dele, e acabou ganhando um preço nas bocas da Fazenda, no complexo da Serrinha.

Com o envolvimento do bonde do Menor P na Serrinha, o Lacosta começou a mirar outras comunidades para invadir, pois contava com os armamentos da Maré nas guerras.

Tentaram invadir seguidamente as comunidades da Congonha, Cajueiro e Juramento, todas dominadas pelo Comando Vermelho.

No último “Baque” no morro do Juramento, os traficantes da Serrinha perderam um comparsas importante da hierarquia da Serrinha, o traficante conhecido como Pepe, que era gerente do Lacosta.

Depois dessa perda, o Lacosta deu um tempo em tentar invadir a Serrinha, pois a morte do Pepe foi um baque emocional para o seu grupo.

Em uma das várias operações que acontecia na Serrinha, o Lacosta acabou sendo baleado no confronto com os policias e buscou refúgio no Complexo da Maré, onde ficou por vários meses escondido. Administrando a Serrinha bem de longe.



Invasão na Congonha


O último grande episódio de guerras na Serrinha foi à invasão ao morro da Congonha. 

Comunidade dominada pelo Comando Vermelho e que faz divisa com a Serrinha em Madureira.

Tudo aconteceu no final do ano, em uma ação audaciosa dos traficantes do Comando Vermelho. Que subiram na Serrinha em um momento festivo e aplicou tiros para cima dos traficantes do TCP.

Invasão na Congonha

Em resposta, os traficantes da Serrinha e da Maré, se juntaram e travaram uma guerra que duraram semanas com as comunidades do Cajueiro e da Congonha.

Só conseguiram dominar a Congonha, onde ficaram por algumas horas.

Mas logo foram expulsos pelos traficantes do Comando Vermelho, que retornaram com reforços das comunidades do Faz Quem Quer Maré, Alemão, Penha e Jorge Turco.

Depois da retomada do CV, a guerra esfriou e Madureira ficou na PAZ por algum tempo.

Atualidade

Atualmente a policia fez uma mega operação na Serrinha, com a intenção de capturar o traficante Lacosta e seus comparsas.

Lacoste

Conseguiram prender mais de 20 traficantes e uma centena de armas do paiol do Lacosta, mas o alvo principal não foi encontrado, pois conseguiu fugir no momento da operação, buscando abrigo nas comunidades da mesma facção.



Com Menor P preso, a próxima meta das autoridades é enfraquecer o Terceiro Comando Puro (TCP), essa lista é encabeçada pelos traficantes Lacosta e Peixe da Vila Aliança.

Ele se encontra transitando entre o Morro da Serrinha e a Favela do Acari, na zona norte do Rio de Janeiro.

Mas acabou dando problemas para o tráfico no Acari, que começou a receber muitas operações, escondendo o Lacosta no seu reduto.

Operações na Favela da Rocinha e no Morro do Juramento

O Dia começou com duas operações em dois grandes redutos.

Dos militares do Choque na Favela da Rocinha em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro.

Da policia no Morro do Juramento em Vicente de Carvalho, na zona norte do Rio de Janeiro.
As duas comunidades são dominadas pela facção Amigos dos Amigos (ADA).

Na Rocinha a operação começou desde muito cedo, mas sem dúvidas alguma que é para coibir o tráfico de drogas. 

Principalmente na parte alta da favela, onde tem a informação que lá se esconde os “grandões” do tráfico.

Já no Morro do Juramento é uma operação sem muitos detalhes, mas tudo indica que também é para coibir o tráfico de drogas na região, realizada pelos policiais da BOPE.


Iremos acompanhar as operações e no decorrer do dia relataremos mais detalhes sobre as duas.

Vídeos da Operação de hoje no Complexo da Pedreira e a captura do Bebezão

Hoje o Batalhão de Choque fez um cerco nos acessos do Complexo da Pedreira, para capturar traficantes da facção Amigos dos Amigos (ADA).

A intenção do Choque era capturar os traficantes que estavam invadindo o Morro da Mangueira, na zona norte do Rio de Janeiro.

Como hoje, o Complexo da Pedreira é o quartel general da facção ADA, qualquer investigação cai na conta do reduto em Costa Barros.


Quem segue o nosso trabalho, sabe que a invasão foi liderada principalmente pelos “crias” da Mangueira, que se encontravam abrigados no Morro do 18 e Complexo do São Carlos, na região central do Rio de Janeiro.

Que por sinal, a invasão não foi concluída com sucesso e os bandidos tiveram que recuar, pois perderam 4 comparsas e muito armamento.

Voltando na operação de hoje.



Eles fizeram um cerco inicialmente no Morro do 18 na Água Santa, na zona norte do Rio de Janeiro.

A inteligência sabe que lá é um reduto para esconder traficantes de Costa Barros, principalmente bandidos ligados a Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy.

Com o cerco fechado no Morro do 18, outros agentes fecharam os acessos do Morro da Pedreira.

Nessa ação eles conseguiram capturar o traficante Bebezão, que atuava na favela da Guacha em Belford Roxo.


O Bebezão foi abordado dentro de um carro numa atitude suspeita. Mesmo assim, os policiais não o reconheceram e levaram para 39º DP (Pavuna).

Lá foram descobrir que ele era o famoso Bebezão, o bandido que foi resgatado no hospital em Niterói no ano passado.

Lá dentro do Complexo da Pedreira, eles conseguiram capturar o traficante conhecido como “Socanela”.



E o saldo da operação foram dois traficantes capturados, dando enfase a captura do Bebezão, que era um indivíduo caçado pela policia.

Enquanto isso o restante da hieraquia do ADA no Complexo da Pedreira, conseguiu fugir do cerco da policia.

Uma hora eles vão acertar o alvo principal!

Policiais são encurralados em Favela do Rio de Janeiro (Vídeo)

Esse vídeo dos policiais enfrentando um intenso tiroteio numa favela do Rio de Janeiro, está sendo muito compartilhado nas redes sociais.

Um vídeo curto, mas bem interessante para analisar como os policiais se portam quando o "pau tá quebrando" entre Policiais e traficantes nas favelas do Rio de Janeiro.

Dizem que esse confronto foi no "temido" Complexo do Alemão, reduto dominado pela facção Comando Vermelho. O perigo para o Estado!

Outras fontes afirmam que o confronto aconteceu na Favela da Rocinha, em São Conrado na Zona Sul do Rio de Janeiro, mas é dominada pela facção Amigos dos Amigos (ADA).

A situação na Rocinha está ficando igual ou pior se compararmos com o "caos" que é no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro.



Você tem ideia qual lugar aconteceu esse confronto?

Deixa no comentário abaixo.

Traficante Binho do Engenho, chefe no Morro do Chapadão

Robson Aguiar de Oliveira ou conhecido como Binho do Engenho, Bin ou Bin-Landen. Integrante do Comando Vermelho e um dos frentes do tráfico no morro do Chapadão.

Ele é um dos principais líderes do Comando Vermelho atualmente, e o seu cargo é fazer as ligações da compra de drogas e armas para facção nas ruas.

Ganhou destaque quando entrou na lista dos presos que fugiram do presídio de Bangu, 
saindo através de um túnel de tubulação de esgoto dentro do presídio em fevereiro de 2013.


Binho
Essa fuga foi arquitetada e “bancada” pela cúpula da facção, que escolheram á dedo os traficantes que deveriam sair e dar continuidade com tráfico do CV nas ruas.

No caso do Binho do Engenho, ele ficou responsável de administrar o tráfico no Morro do Chapadão na Pavuna.

Sempre dando satisfações para os traficantes Fú e Claudinho da Mineira, que hoje tomam conta da facção na rua á pedido do Marcinho PV, cabeça da facção.


Como o Complexo do Chapadão é um reduto formado por várias comunidades, o controle do tráfico ficou divido entre o Binho do Engenho, responsável pelo Chapadão, traficante conhecido como Xuxa -frente do Jobe- Traficante Davi – Frente da favela Final Feliz. 
(preso)

Depois de diversas operações no reduto do Comando Vermelho na Pavuna, por causa da migração dos traficantes do Complexo do Lins, Mangueirinha e Juramento para o Complexo do Chapadão, os frentes estão na mira da policia, e o Binho é uma das prioridades da policia atualmente.

Atualização

Hoje o Binho é o nome a ser caçado nas operações no Morro do Chapadão, em Costa Barros.

Sua forte ligação com os principais chefes do Comando Vermelho, e o excesso de roubos de cargas, onde transportam a mercadoria para dentro do Chapadão, foram os crimes que lhe deram essa importância para as autoridades.

Mesmo ocupando o cargo de “frente” no Chapadão, ele é um traficante que não se expõe e não tem o nome veiculado nas páginas policiais.

Atualmente ele sofre uma resistência com os donos do Chapadão, que mesmo preso, exigem a participação devida no lucro das bocas de fumo no complexo.


Binho responde por vários crimes, e consta pelo sistema de cadastramento de mandados na Polinter, cinco mandados de prisão em aberto.

Traficante Bebezão da Guacha foi capturado hoje no Complexo da Pedreira

O dia começou com uma operação da Policia Militar no conjunto de favelas do Complexo da Pedreira (ADA), em Costa Barros, na zona norte do Rio de Janeiro.

A operação teve resultados satisfatórios para a policia.

Conseguiu capturar o traficante Johnny Luiz da Silva, o Bebezão, e com ele também foi capturado o traficante conhecido como “Soca Nela”.

Bebezão como é conhecido, é o mesmo que foi resgatado pelos comparsas no Hospital em Niterói, em novembro de 2014.

Ele era apontado como gerente na Favela da Guachá, em Belford Roxo.

Bebezão já foi levado para a 39º DP (Pavuna) e será transferido para a Polinter.

Já o tal do “Soca Nela”, teria participado do resgate no Fórum de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Soca Nela.
Na ocasião, os traficantes do 18 foram resgatar o chefe do Morro do 18, o Pilho, o chefe em Belford Roxo, o Chocolate.


Para finalizar, está acontecendo uma operação também no Morro do 18 em Água Santa, na zona norte do Rio de Janeiro.

Mapeamento - Morro do Juramento

Começaremos a secção "Mapeamento" aqui no Blog do MG.

Muitos leitores, principalmente que acompanha o trabalho de fora do Rio de Janeiro. Gostaria de conhecer as comunidades de perto, como são as Geografias e as entradas.

Utilizando uma ferramenta bem conhecida do Google e também com um pouco de toque de edição de vídeo, criei essa seção de Mapeamento.

A intenção de mapear a maioria das comunidades ou quem sabe, a totalidade delas.

Vamos lá.

Mapeamento no Morro do Juramento

Morro do Juramento, localizado no bairro de Vicente de Carvalho na zona norte do Rio de Janeiro.

Uma comunidade extensa, que pode ser considerada de porte "grande", que abriga muitos moradores, sendo cercada por diversas comunidades de facções rivais.

O Juramento já foi dominado pelo Comando Vermelho, Terceiro Comando Puro e recententemente, foi retomada pela facção Amigos dos Amigos.

O Tráfico

Sandro Luis de Paula Amorim, o Peixe,  Foca ou Lindinho, é o manda-chuva no Morro do Juramento. Ele também domina 80% das comunidades de Macaé. Está preso desde 2011.

Como acontece na hierarquia do tráfico carioca, quando o dono está preso é intitulado um novo chefe, conhecido pelo cargo de "frente".

Esse homem é o traficante conhecido como Feio. Ele migrou de Macaé, foi para o Morro do 18 e liderou as invasões no Juramento, onde expulsaram o Comando Vermelho.

O Juramento é liderado por dois Gerentes, que também são considerados como "frentes" na comunidade. São os traficantes conhecidos como Palmito e Grande.

Principais Vias


Via de Acesso na Rua Carneiro Mendonça




Via de Acesso na Rua Tiúba
Acesso - Rua Cambuci do Valê

Acesso - Rua Lopo Diniz

Acesso - Rua Mãe Tolentina Amador


Rua Ibitinga - Juramento


Rua Itapuã - Juramento


Mapeamento do Juramento em Vídeo

Choque entra na Mangueira e desfalca os invasores

Clima de tensão foi instalado no Morro da Mangueira, na zona norte do Rio de Janeiro.

Poucos dias atrás, os bandidos ligados à facção Amigos dos Amigos (ADA) entraram na Mangueira pare tomar o controle do tráfico.

Os bandidos eram nascidos e criados na Mangueira, mas optaram por trocar de facção no ultimo conflito interno que aconteceu no morro.

Cerca de 11 bandidos que eram da Mangueira, foram aceitos pelo ADA e ficaram por algum tempo transitando entre os Morros do 18 e São Carlos.

Retornaram para a Mangueira e a guerra estourou de vez.

Pela inteligência da policia, foi identificado que os invasores seriam os traficantes conhecidos como; Kiko, 2D, Sobel, Somália, Jack e Anderson.

Outros soldados fizeram a composição desse.


Na madrugada desse domingo os Policiais da Choque realizaram uma operação na Mangueira.

Houve um confronto e 4 traficantes ficaram feridos, um suspeito detido e uma grande apreensão de armamentos.

Foram apreendidos 4 fuzis, 5 pistolas, 5 granadas, 15 carregadores de fuzil, 10 carregadores de pistola e cerca de 1000 munições.

Desfalque legal pra qualquer que for dos lados que estão na Mangueira!

A ação foi registrada na 17º DP (São Cristóvão).

Não sabemos informar se o desfalque foram das facções CV ou ADA.

Tudo indica que seriam bandidos do grupo invasor, ou seja, da facção Amigos dos Amigos.

Mesmo depois dessa operação, os moradores já informaram que o clima permanece tenso e muito água vai rolar na Mangueira!


Estamos acompanhando.

Policia chega perto do Traficante Rogério 157 na Rocinha

Sábado ficou marcado por diversos confronto na Favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro.

Como sempre, os policiais estavam fazendo um patrulhamento na localidade conhecida como Rua 1, quando sofreram uma emboscada do tráfico.

Pra ser preciso, os policiais estavam próximo ao setor que estava o chefe da Rocinha, o traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157 ou RG.

Obviamente o confronto estourou!

O traficante conseguiu fugir, mas deixou um policial ferido.

Depois do ocorrido a favela foi ocupada pelo BOPE e reforçada com militares das UPPS do Pavão Pavãozinho/Cantagalo, Babilônia, Vidigal, Escondidinho, Prazeres, Coroa, Fallet, Fogueteiro.

O clima permaneceu tenso durante toda a madrugada do Domingo, mas não houve registro de novos confrontos.


Até o tradicional Baile Funk que sempre acontecia no sábado, ontem não rolou, com proibição da UPP.

Baile rolou normalmente no Juramento e sem tiroteio

Assim que foi divulgado que iria acontecer o primeiro baile da retomada do ADA no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na zona norte do Rio de Janeiro.

Muitos pessoas torceram o nariz, e alguns leitores comentaram que poderia ter uma possível investida do Comando Vermelho. Para retomar o Juramento.

Segundo informações, a segurança foi feita durante toda a sexta-feira no Juramento.

Página Favela Tem Voz
Bandidos deslocaram muito fuzis para proteger o Juramento, na realização do baile funk na comunidade.

Como já imaginava, nada aconteceu!

O evento aconteceu, nenhuma pessoa ficou ferida e não houve nenhuma confusão.

Página Favela Tem Voz
Eu sei que é uma noticia “fútil” para se comentar aqui, mas os leitores comentaram muito e fui obrigado fazer esse artigo.

O Comando Vermelho poderá retornar?

Sim, tudo é possível.


Página Favela Tem Voz
Mas de acordo com os investimentos realizados pelo traficante conhecido como Feio, chefe do tráfico no Juramento. Ele vai blindar à comunidade, com dinheiro, armas e proteção extra-campo!

Policia prende gerente da Vila Cruzeiro e Ameaçam retirar UPP do Parque Proletário

Mesmo em crise, os Policiais da UPP da Vila Cruzeiro prenderam mais um traficante do Comando Vermelho.

Clayton Alves de Souza, o Cotonete, foi encontrado durante um patrulhamento de Rotina na Rua Vitor Viana, na localidade do Campo da Ordem.

Ele foi abordado calmamente por uma atitude suspeita, foi identificado que constava um mandado contra ele e foi conduzido para 22º DP (Penha).

Segundo as investigações da policia, o Cotonete ocupava o cargo de gerente financeiro para o tráfico na Vila Cruzeiro.

Só pra não deixar passar em branco.

Por outro lado, os policiais da UPP do Parque Proletário ameaçam abandonar o contêiner.

Já aconteceu na UPP no Complexo do Alemão, agora no Complexo da Penha.

Se essa atitude vira uma tendencia, daqui à pouco as UPPs serão retiradas aos poucos nos dois complexos.


Nenhum policia está aguentando viver na mira dos bandidos todos os dias

Nova Invasão no Morro da Mangueira 2.0

Já passou quase 1 ano depois que os “crias” da Mangueira trocaram de facção e optaram por invadir para retomar como Terceiro Comando Puro.

Depois desse episódio o morro permaneceu sob controle do Comando Vermelho.

Mas no intimo de todos, como muitos traficantes trocaram de facção na Mangueira, uma nova investida já era prevista.

É a lei geral do tráfico.

Se você troca de facção, você troca para retornar pro seu antigo reduto!

Os soldados que atuavam na Mangueira, optaram por fechar com a facção Amigos do Amigos no Morro do 18 em Água santa, na zona norte do Rio de Janeiro.

Já mirando entrar novamente na Mangueira, agora com a “camisa do ADA”.

E isso aconteceu ontem!

No meio do primeiro baile funk para comemorar a retomada do ADA no Morro do Juramento em Vicente de Carvalho, na zona norte do Rio de Janeiro.

Os soldados da Mangueira se reuniram com os comparsas do Complexo do São Carlos, Morro do 18 e Macaé, que estavam presentes no baile do Juramento, e foram invadir a Mangueira.

Entraram na Mangueira por volta das 4 horas da manhã.

Balearam três pessoas, duas era envolvida com o tráfico na Mangueira.

No confronto, acabaram baleando o responsável por organizar o serviço de Moto-Táxi no morro, mataram um traficante conhecido como Lú da Lagoinha e pra finalizar.

Balearam o frente do morro, o traficante conhecido pelo apelido de “Bamba”.

O Bamba teria assumido o cargo de chefe há pouco tempo, logo quando ganhou o beneficio de sair da cadeia.

O dia amanheceu tranquilo nos setores da Mangueira.

Os moradores sabem que houve confronto, mas não sabem informar se os bandidos do ADA saíram do morro ou estão entocados para um novo confronto.

Pela minha intuição, essa guerra durará dias, igual à guerra passada que durou meses!


Vamos aguardar

Traficantes do Faz Quem Quer matam jovem no Jorge Turco

Infelizmente uma guerra atinge muitos inocentes.

Quando as armas estão em riste para demarcar território, tirar diferenças ou simplesmente exterminar um desafeto, geralmente é a população que sofre.

Nas comunidades do Rio de Janeiro não foge dessa “infeliz” regra das guerras.

Aconteceu no Morro do Jorge Turco em Rocha Miranda, na zona norte do Rio de Janeiro.

Os bandidos da facção Comando Vermelho do Morro do Faz Quem Quer, também em Rocha Miranda, fora até a entrada do Morro do Jorge Turco.

Queriam pegar algum envolvido com o tráfico e ligado à facção ADA, pois geralmente ficam alguns olheiros do tráfico nos acessos.

Quando se depararam com um menino de 12 anos sentado na entrada do Jorge Turco, mas precisamente na Rua Guare com a Ibotim.

Simplesmente desceram da moto e efetuaram 3 disparos à queima-roupa no jovem, acertando a maioria no rosto.

Logo em seguida fugiram do local.

O jovem não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo.

Poderia ser mais um jovem envolvido e iludido com o tráfico né?

Pois é, não era!

Era um jovem rapaz, que estava naquele momento esperando a sua irmã, que estava vindo do transporte escolar.


Os moradores presenciaram toda a cena e ficaram revoltados e transtornados.

Segundo informações, o traficante que efetuou o disparo é conhecido pelo vulgo de “Macaco Louco” e era do tráfico no Jorge Turco, quando  morro era dominado pela facção Comando Vermelho.

Novamente uma vida inocente se perde com a maldita guerra pelo poder.

Os traficantes do ADA que dominam o Jorge Turco hoje, se demonstraram revoltados com a situação e prometeram revidar, pegando o responsável por efetuar o disparo, já que é desafeto antigo.

Tráfico do Juramento adota tática do Complexo do São Carlos

Características de administrações nós reparamos de longe, e está sempre presente no tráfico do Rio de Janeiro.

No morro do Juramento não fugiu dessa sina.

Por ordens dos superiores, algumas casas e muros no Morro do Juramento, estão sendo pintadas de verde.

Houve uma situação igual no Complexo do São Carlos no Estácio, onde os bandidos pintaram as casa da mesma cor no Morro da Mineira, que na época foi recém tomado pela 
facção Amigos dos Amigos.

Dizem que é uma tática para confundir a policia e despistar os X-9 (Informantes).

Como o dono do Juramento é o traficante Sandro Luis de Paula Amorim, o Foca ou Lindinho, ele deu um toque de “Complexo do São Carlos” no seu novo reduto.

Feio
O Lindinho permanece preso desde 2011, e quem responde pelas suas ordens no Juramento é o traficante conhecido como Feio, oriundo da região de Macaé.

Por falar em Juramento..

Mineira
Hoje (Sexta-feira) será o primeiro Baile Funk com a facção ADA comandando o morro.

Alguns frequentadores estão receosos para curtir o baile no Juramento, com medo de uma possível invasão dos rivais do CV.

Que foram expulsos do Juramento recentemente.


É só aguardar.

Traficantes do Alemão botaram a Policia pra correr do Contêiner da UPP

Aconteceu dentro do Complexo do Alemão, um conjunto de favelas da zona norte do Rio de Janeiro.

Que dizem estar pacificado!

A situação para a Policia pacificadora dentro do Complexo do Alemão não é uma das melhores.

Agora eu me deparo com a seguinte noticia “Traficantes expulsam PMs de contêiner no Alemão; agora, garagem é usada como base “ . fonte: extra.com

Não tenho nada a dizer sobre isso!

O sufoco é tão grande pra cima dos policiais, que ele se sentiram obrigado a abandonar o tradicional contêiner da UPP.

Sem proteção nenhuma, pequena e que parece uma lata de sardinha das mais baratas. Sim, ele é verde!

Para piorar a situação dos corajosos policiais.

Eles ficam numa garagem próxima ao local na Rua Canitar, onde dividem o espaço com um lava a jato.

Porque os bandidos do Alemão obrigaram á ficarem ali!
E o pior, já foi avisado..

Se passar vão tomar tiro, pois segundo os dizeres do tráfico – Está tudo monitorado.

Os policiais nem pensam em ir à antiga estrutura, porque sabem que ali é procurar a morte mais cedo!


Diante os fatos, segue o processo “falho” de pacificação no conjunto de favelas do Alemão.

Era para deixar o tráfico acuado, mas pelo contrário, agora as autoridades ficam acuadas e 
os bandidos brincam de “tiro ao alvo” pra cima da UPP.

Se fosse policial militar.

Arriscaria a sua vida numa unidade pacificadora dentro do Complexo do Alemão?

Eu não!

CORE sufoca o tráfico na Favela da Bandeira 2 em Del Castilho

Quem lembra da situação da comunidade Bandeira 2 em Del Castilho?

Atualmente dominada pelo Comando Vermelho, fazendo conexão com as favelas do Manguinhos, jacarezinho, Mandela e Arará.

Como a comunidade é minuscula, os bandidos sofrem pra ficar na comunidade, pois a Milicia entra na hora que quer.

Hoje de manhã houve prisões e apreensões da CORE na Bandeira 2.

A situação deve piorar em Del Castilho, principalmente para os traficantes do Comando Vermelho.

A tendencia é que aconteça sufoco atrás de sufoco, até que o terreno fique limpo para os Milicianos entrarem sem preocupação.

Com traficantes na Bandeira 2 os Milicianos já entram, imagina depois?

A equipe do R7 fez uma matéria especial sobre essa operação da Policia Civil na favela da Bandeira 2.


É possível conhecer a comunidade por dentro nesse vídeo.

Madrugada de confrontos na Praça Seca. A Milicia querendo crescer na região

Nessa madrugada houve um intenso tiroteio na Praça Seca, na região oeste do Rio de Janeiro.

Novamente os traficantes do Comando Vermelho entraram em confronto com os Milicianos, que insistem em retornar para a região.

Depois que o Luis Claudio Machado – o Marreta – foi capturado, a situação do Comando Vermelho tende a piorar.

Já praticamente perderam a influência que tinha na comunidade da Covanca, onde eles insistem em retornar.

No Morro do Jordão os Milicianos estão empenhados em não deixar o tráfico entrar novamente, como aconteceu no ano passado.

No Morro da Chacrinha (Milicia) o CV nem pensa em botar os pés, porque ali o CV não consegue se criar.

Pro CV só restou a parte direita da Praça Seca, onde ficam as comunidades do Bateau Mouche, Menezes e São José Operário (Barão).

O CV só continua uma potência na comunidade da Barão, mas continuam cercados pelos redutos do Morro do Campinho e Fubá, redutos fortes que a Milicia domina.

Com os confrontos que vem acontecendo na Praça Seca, é questão de tempo pro CV ficar sem o controle da Barão, outro reduto que a Milicia planeja retomar!

No meio desse fogo cruzado ficam os moradores, que perdem madrugadas de sonos por causa dos tiroteios.

Assista a matéria do R7 sobre esse caso.

Morro do Chapadão

Comunidade do Morro do Chapadão, localizado no bairro da Pavuna, bem afastado do centro econômico e localizado na zona norte do Rio de Janeiro.

Anos atrás o tráfico do Morro do Chapadão não era potente, dificilmente a mídia batia em cima dos bandidos que se instalavam na comunidade.

Hoje é possível afirmar que lá virou um Complexo de comunidades, juntando com os bairros de Anchieta, Costa Barros, Guadalupe e Ricardo Albuquerque.

As entradas de unidades pacificadoras em comunidades do Rio de Janeiro, ajudou formar o Complexo do Chapadão e aumentar a criminalidade na Pavuna e adjacências.

Mas nem sempre foi assim.

Localidade do Chapadão

Como dito no inicio do artigo, o Morro do Chapadão fica localizado no bairro da Pavuna, no extremo norte do Rio de Janeiro.

Uma área que divide uma pobreza extrema, com entorno formado por casas de pessoas com um ótimo poder aquisitivo, como na região da Nova Pavuna.

Próximo ao Morro do Chapadão fica os municípios de São João de Meriti, Mesquita e Nilópolis.

Facção que domina no Chapadão


Como é de costume nos morros cariocas, sempre uma facção criminosa tende a se instalar em alguma comunidade e no Chapadão não é diferente.

A facção que sempre predominou foi o Comando Vermelho, a facção mais antiga do Rio de Janeiro e que ficou enraizada historicamente em grande parte das comunidades da cidade e do estado.

Outras facções já tentaram se instalar no Chapadão, como a facção Amigos dos Amigos (ADA), que possuem comunidades que são vizinhas de “muro” do Chapadão.
Mas sempre predominou o CV.

Lazer encontrado no Chapadão

Hoje os bailes que são realizados no Chapadão e nas comunidades que ficam no seu entorno, entra na lista dos “mais visitados” do Rio de Janeiro.

Essa popularidade aumentou devido a entrada da UPP nas comunidades da Penha e do Alemão, encerrando bailes tradicionais e históricos, como o baile da Chatuba.

Além da migração dos traficantes da Penha para o Chapadão, o público que frequentava os bailes da Penha também migraram. Natural!

O jogador de Futebol Adriano, era um frequentador assíduo dos bailes do Morro do Chapadão. Nascido e criado no Complexo da Penha, a sua área de lazer também virou os bailes da Pavuna.

Suas idas até a comunidade do Chapadão foi até assunto de matérias nas principais mídias, como essa aqui que saiu em 2012 no G1.com.

Histórico do tráfico do Chapadão


Vamos abordar o histórico do tráfico no Chapadão a partir do traficante Alexandre Alex Campos, o Risada.

Ele comandava o tráfico no Morro do Chapadão, mas não era bem o chefe que o Comando Vermelho imaginava.

Risada
Empenhava-se mais em assaltos, do que as vendas de drogas nas bocas do Chapadão.

Não bastava ser um mal administrador, ele mantinha contatos fortes com os traficantes da Quitanda. Favela vizinha do Chapadão, mas dominada pela facção rival, o ADA.

Conversas vão e conversas vêm, o Risada decidiu vender o Chapadão para os traficantes do ADA. Atitude que não foi aceita pela cúpula do Comando Vermelho, que exigiram explicações.

O Risada acabou sumindo mas perdoado, pois dizem que ele tinha ligações fortes com o traficante Marcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho PV. Principal líder do CV.

Sem o Risada no morro e com indícios que tinha trocado de facção, os integrantes do grupo do Marcinho PV foram incumbidos de retomar o Morro do Chapadão e levantar a bandeira do CV novamente na comunidade.

Bondes (Grupo Armado) de traficantes liderados pelo Fabiano Atanásio da Silva, o FB, foram até o Chapadão para expulsar os rivais do ADA.

Nomes conhecidos, como Luiz Fernando Nascimento Ferreira, o Nando Bacalhau, Baiano, T.H e entre outros, também participaram desta missão em retomar o morro para o Comando Vermelho.

Bacalhau
A retomada foi rápida e sem dor, pois os traficantes do ADA não tinha reforçado o Chapadão, achando que o CV não retornaria para comunidade.

Música que retratou o ódio do Traficante Risada

Com a retomada do Chapadão o morro ficou nas mãos do FB, que por sua vez, deixou de frente (Chefe) os traficantes Nando Bacalhau e Baiano

Outros gerentes foram incumbidos em reforçar o morro para evitar uma nova invasão.

Assim se formou o temido e perigoso Morro do Chapadão!

Com passar de muitas operações e incursões dos policiais da área, muitas cabeças do CV 
foram morrendo no Chapadão, como o número dois da hierarquia, o traficante conhecido como Baiano. Morreu em março de 2011.

A era “Nando Bacalhau” no Morro, foi a mais conhecida por todos!

Ele não tinha aparência de traficante, pois gostava de se exibir em fotos com lindas mulheres, roupas de marcas de grifes e jóias caras.

Simplesmente não se importava em aparecer nas câmeras.

Com essa exposição desnecessária e gratuita, a policia começou a dar importância ao Nando Bacalhau e caça-lo com mais intensidade.

Chegou a ser a cabeça mais valiosa para as autoridades, por ser considerado o chefe maior do chapadão. Assim pensava eles!

UPP da Penha e Prisão do FB


Com as ocupações dos Complexos do Alemão e da Penha em 2010, a comunidade do Chapadão foi considerada pelas autoridades o principal abrigo dos traficantes.

Como a liderança era do FB, chefe da Vila Cruzeiro (Complexo da Penha), o percurso normal era que a sua tropa da Penha procurasse abrigo no Chapadão.

Em partes isso aconteceu!

FB
Até o próprio FB chegou a ficar por tempos no Morro do Chapadão, e dizem que ele possui casas luxuosas dentro do morro.

Como era muito procurado também, dificilmente ele ficava em um lugar só. Alternava do Chapadão e Juramento. Segundo as investigações da policia.

Voltando a migração..

Muitos traficantes da Penha procuraram abrigo no Chapadão, mas por ordens do FB, apenas os “crias do morro” ficariam no Chapadão, os abrigados teriam que se abrigar nas comunidades no entorno.

Eles se instalaram nas localidades do Jobe, Torre, Terrinha e no Gogó da Ema em Guadalupe, entre outras.

Assim foi se formando o que conhecemos hoje como Complexo do Chapadão.

Nova era do Chapadão


Com as prisões do FB em Campos do Jordão, São Paulo, e Nando Bacalhau em Guarulhos, também em São Paulo, e também no ano de 2012.

Uma nova era de chefes foram para o Morro do Chapadão e nas comunidades que formavam o complexo.



Com a saída do Nando Bacalhau do controle do morro, seu sucessor direto foram os “crias”. Alguns gerentes de confiança dele, que assumiram a frente do tráfico no morro.

O seu sucessor que causou uma certa repercussão, foi o traficante conhecido como Felipe Fu, de 23 anos.

Ele era filho do Ricardo Chaves de Castro Lima, o Ricardo Fu, ex-chefe do tráfico do Morro da Mineira e principal líder do Comando Vermelho.

Fuzinho e Felipe Fú
Felipe Fu era cunhado do Nando Bacalhau também!

Na ocasião o Felipe Fu ou Fuzinho, era um dos líderes do Chapadão, na companhia dos seus comparsas Felipe Correia de Souza Fernandes, o Lacoste e um outro conhecido apenas como Fiel.

Como era muito jovem e “inexperiente” como chefe do tráfico, a cúpula do CV acreditava que ele não seria firme para liderar o Chapadão naquele momento.

Pois era o novo quartel general da facção, assim que ocuparam a Penha e o Alemão.

A policia acreditava que estava acontecendo uma briga interna no Chapadão, pois os traficantes ligados ao Marcinho PV queriam o traficante Luis Claudio Machado, o Marreta, no comando do Chapadão.

Marreta
Ele tinha acabado de fugir pela tubulação do Instituto Penal de Vicente Piragibe, com mais 26 criminosos da mesma facção.

Acreditavam que o Marreta teria a experiência necessária pra tocar os negócios no Morro do Chapadão, pois já era chefe do Jorge Turco e Complexo do Lins.

Por outro lado, o Ricardo Fu acreditava que seu filho poderia segurar essa “bronca” em gerenciar o Morro do Chapadão, e segundo a policia, por meio de carta, orientou o filho a não abaixar a cabeça para o Marreta e comandar o Chapadão.

Resumindo…

O Felipe Fu acabou morrendo em um confronto com os policiais no Morro do Chapadão.
Onde estouraram certinho no esconderijo do traficante, que foi obrigado a revidar e acabou atingido na troca de tiros. Foi levado para o Hospital Carlos Chagas, mas não resistiu ao ferimentos.

Depois da morte do Fuzinho as desconfianças caíram em cima do Marreta, que se afastou do Chapadão e deu continuidade na missão de tomar as comunidades da Praça Seca.

No dia 23/08/2013 o Ricardo Fú ganhou o beneficio do regime semi-aberto, onde deveria visitar a família por sete dias, mas não retornou, e voltou ao Rio de Janeiro.

Junto com seu comparsa Claudio José de Souza Fontarigo, o Claudinho da Mineira, o Ricardo Fu ganhou a missão de olhar o Comando Vermelho nas ruas e chefiar o tráfico no Complexo do Chapadão.

Cuidando do tráfico do Chapadão, o Ricardo Fú colocou outros frentes nas principais bocas do Complexo e estendeu o Complexo para outros bairros no entorno do Chapadão.

Expulsaram um grupo de Milicianos que atuavam em Ricardo Albuquerque, Guadalupe e Anchieta e o complexo cresceu.

Binho do Engenho
No morro do Chapadão a administração ficou com Robson Aguiar de Oliveira, o Binho do Engenho. Oriundo do Morro da Mangueira.

Nas localidades do Jobe, Torre e Cerqueira Cesar, ficou nas mãos do Claudino dos Santos Coelho, o Xuxa ou Russão.

Mas ele foi morto pelos policiais em confronto!

Nas partes da localidade da Cova da Onça até a Pedra Rasa, ficou nas mãos do traficante David Conceição Carvalho, o David ou DVD.

David
David ganhou uma moral enorme com os chefes da facção, porque conseguiu expulsar os milicianos que atuavam no entorno do Final Feliz de Anchieta.

Como prêmio e por ser cria daquela localidade, ganhou o cargo de “frente” também do Final Feliz.

Rivalidade de facções na região do Chapadão


A principal e a única ameaça aos traficantes do Chapadão, são os rivais das favelas da Quitanda, Lagartixa e Pedreira. Todas dominadas pela facção Amigo dos Amigos (ADA).

Anos atrás os traficantes do Chapadão aplicavam tiros na divisa com a Quitanda, em resposta a Quitanda fazia o mesmo.

De acordo com relatos, os traficantes da Quitanda já conseguiram subir até o Morro do Chapadão e balearam o chefão Nando Bacalhau, mas logo foram expulsos do morro.

Atualmente os dois complexos se respeitam, por conta que os dois estão fortemente armados e com soldados saindo pelas beiradas!

Caso aconteça uma guerra entre o Chapadão vs Complexo da Pedreira, rapidamente ela seria evitada pelas autoridades, com risco da instalação da UPP nos dois complexos, quebrando de vez o QG do CV e do ADA em Costa Barros e Pavuna.


Hoje (21/08/2014) a preocupação que o Complexo do Chapadão traz para as autoridades é pelo excesso de roubos de veículos e cargas.

Por muitas das vezes as operações acontecem no Chapadão para recuperar os veículos e as cargas.

Operações para retirar barricadas e reprimir o tráfico também é comum.

Com a extensão do Complexo do Chapadão até Ricardo Albuquerque, Anchieta e Guadalupe, a principal queixa dos moradores de bem, são as leis impostas pelos traficantes e as invasões de casas que eles fizeram.



Recentemente uma escola teve que fechar as atividades, pois o tráfico coibia os alunos na hora da entrada e da saída. 

Muitos pais optaram por matricular os filhos nas escolas que ficam fora dos domínios do tráfico no Complexo do Chapadão.

Nesse ritmo, a tendencia é que o tráfico cresça na região e a violência aumente cada vez mais.

Para acompanhar noticias diárias de Guadalupe e do Complexo do Chapadão, recomendo que sigam a página do Guadalupe News no Facebook.

Bom, esse texto foi apenas o registro resumido dos principais acontecimentos na comunidade do Morro do Chapadão.

Os detalhes é óbvio que não chega até o conhecimento do Blog Crimes News, pois só quem vive o tráfico diariamente tem guarida para dar relatos com riquezas de detalhes.

Você é morador da região e deseja agregar mais informações ou correções, deixa seu comentário no cam
loading...