>
NOVOS ARTIGOS ABAIXO
LENDO
 Novamente os assaltantes do Complexo do Chapadão (CV) agiram na zona norte do Rio de Janeiro.

O helicóptero do Globocop flagrou um caminhão roubado sendo saqueado na Estrada do Camboatá, no Complexo do Chapadão.

Flagraram pessoas com camisetas nos rostos, pegando os pertences dentro do caminhão.

Sem dúvida os bandidos do lado de lá do Complexo, foram na pista arrumar um ganho para os lado de lá do Chapadão (CV) , mas notaram que a carga não tinha valor e deixaram para os moradores pegarem as mercadorias.

Veja no vídeo.




O tiroteio na divisa continua entre a Baixa do Sapateiro (TCP) e Nova Holanda (CV) no Complexo da Maré.

Nesse fim de semana houve relatos de mais tiros entre as duas quadrilhas.

Mas até então, nenhum dos grupos iniciaram uma guerra de fato.

Apenas ficaram trocando tiros na fronteira, ameaçando que iriam invadir e mandando toque de recolher para os moradores.






Não são as facções criminosas que trocam tiros para tomar territórios.

Até os grupo para-militares estão brigando por território no Rio de Janeiro.

Neste domingo estourou uma guerra interna entre Milicianos na comunidade do Catiri.

Segundo relatos, um Miliciano foi expulso do seu grupo, mas retornou com ajuda de outros Milicianos para retomar seu respeito no Catiri.

Não sabemos se são da Milicia Liga da Justiça, Águia de Mirrá ou outra qualquer que existe no Rio de Janeiro.


Na página "Favela Caiu no Face", foi postado um vídeo que mostra os Milicianos atuando no Catiri para segurar o território.




Vamos aguardar.
Final de semana e mais uma tentativa de invasão na comunidade da Cidade Alta, para expulsar o Terceiro Comando Puro e o grupo controlado pelo traficante Peixão.

Como costuma acontecer.

Um grupo fortemente armado, saiu do Complexo da Penha (CV) e foi guerrear pela Cidade Alta.

Trocaram tiros na divisa da Pica-Pau e chegaram adentrar na Cidade Alta.

Mataram um traficante de vulgo Rato, que ficou estirado no chão crivado de bala no corpo.


Gritaram que o "Comando Vermelho voltou" e etc.

Gritos de ordem que as facções costumam fazer.

Parte do grupo do Tribolado, o chefe da Cidade Alta, recuou para a Parada de Lucas (TCP) e houve incursão de um caveirão.

Segundo relato dos moradores, um blindado estava no sentido da Parada de Lucas (TCP) e outro fazendo rondas dentro da Cidade Alta, que naquele momento estava sem bandido.

Hoje pela manhã um novo Caveirão começou a fazer rondas na comunidade, segundo informações dos moradores, para capturar algum bandido invasor.

No momento não possuí registro de bandidos armados nas ruas da Cidade Alta.

Moradores acreditam que parte fugiu e outra parte esta escondida dentro da comunidade.

Os traficantes do TCP estão comemorando outra vitória contra uma investida do Comando Vermelho no seu novo território.


Os traficantes da Nova Holanda (CV) e Baixa do Sapateiro (TCP) definitivamente entraram em conflito anunciado.

Nos últimos dias os confrontos são intensos na divisa das duas comunidades.

Para piorar, os próprios traficantes da Nova Holanda (CV) tiveram a audácia de gravar uma troca de tiros com os rivais e postar nas redes sociais.

Hoje no tráfico do Rio de Janeiro presenciamos de tudo.

Até invasão os traficantes estão gravando ou fazendo transmissão ao vivo na internet.

Veja nos vídeos.

Os traficantes do Terceiro Comando Puro colocaram pra correr os bandidos do Az de Ouro em Anchieta, dominado pela facção ADA.

Há dias os traficantes estão trocando tiros pela comunidade, e como o Az de Ouro possuí pouco armamento e o TCP está sendo apoiado pelo Complexo da Maré, estão levando vantagem.

Ontem os traficantes do Tatão (TCP) chegaram até vasculhar casas dentro do Az de Ouro, que esperou os reforços da Favela da Quitanda (ADA), onde fica o seu chefe, o traficante Samir.


Por algumas horas só tinha TCP dentro do Az de Ouro.

Na madrugada houve uma movimentação de bandidos no entorno do Az de Ouro, que deveriam ser os reforços da Quitanda (ADA) para expulsar o TCP.

Por volta dos primeiros horários da manhã do sábado, os bandidos do TCP saíram do Az de Ouro, e os moradores relataram que não é possível ver um bandido na comunidade.

Os bandidos do TCP estão perto de dominar o Az de Ouro.
Ontem por volta das 11 horas da noite aconteceu um novo tiroteio na comunidade da Cidade Alta (TCP) em Cordovil, na zona norte do Rio de Janeiro.

Traficantes ligados ao Comando Vermelho abriram fogo pra cima da segurança da Cidade Alta, que geralmente fica na divisa com a comunidade da Pica-Pau.

Houve um confronto, assustando os moradores, imaginando que aconteceria uma nova guerra entre CV e TCP dentro da Cidade Alta.

Mas só passou de um tiroteio entre os dois grupos, como aconteceu por várias vezes.

A Cidade Alta continua sob controle do Terceiro Comando Puro.

Que sobrevivem fortemente comandando o tráfico na Cidade Alta.


O clima entre o Tatão (TCP) e Az de Ouro (ADA) está esquentando no bairro de Anchieta na zona norte do Rio de Janeiro.

Os traficantes do Tatão (TCP) foram patrocinados pelos comparsas do Complexo da Maré, liderado pelo bandido conhecido como Falamansa e invadiram o Az de Ouro.

Trocaram tiros com os rivais do ADA e mataram o frente da comunidade.

Conhecido pelo apelido de H20, e foi morto na comunidade.

Ele tinha problemas em uma das pernas e não conseguiu correr.

Não foi apenas uma baque comum, mas sim uma preparação para colocar o TCP no comando do Az de Ouro.

Vamos aguardar.

Falamansa.

A guerra estourou de vez no Complexo da Maré.

Hoje de manhã houve confronto entre traficantes da Nova Holanda (CV) e da Baixa do Sapateiro (TCP), causando a morte de um soldado do lado do TCP.

Prometeram que iriam vingar o comparsa, e que guerra iria estourar de vez.

Como de fato aconteceu.

No final da tarde os traficantes voltaram a trocar tiros.


Começou na divisa das duas comunidades, até a Vila Olímpica e nas localidades das Casinhas, dentro da Nova Holanda.



Foi um tiroteio desenfreado dos dois lados.

Inclusive, os bandidos do Morro do Timbau (TCP) para ajudar os comparsas da Baixa do Sapateiro (TCP), abriu fogo em cima da Nova Holanda (CV).

Resultado desse tiroteio.

Uma criança foi atingida e veio a óbito.

E o clima ficou tenso.
O tráfico no Morro do Carvão (TCP) em Itaguaí, sofreu mais um desfalque considerável na sua hierarquia.

Primeiro foi a prisão do traficante Redbull ou Lobo, o chefão do tráfico na comunidade, que estava segurando firme o seu território contra a Milícia local.

Quem assumiu foi o traficante conhecido pelo apelido de Kaká, que era oriundo do Conjunto Amarelinho (TCP) em Irajá, na zona norte do Rio de Janeiro.


Mas ele não ficou muito tempo no cargo maior do Carvão.

Segundo informações, ele apareceu morto na manhã de hoje.

Moradores indicaram que foi em confronto com a Policia.

Outras informações dão conta que foram os próprios comparsas, por um acerto de contas interno no Carvão.

Vamos aguardar a verdade.
Uma zona que todos pensavam que seria guerra todos os dias, é na fronteira entre a Baixa do Sapateiro (TCP) e a Nova Holanda (CV) no Complexo da Maré.

Ali rola estresse verbal diariamente, e as vezes uns tirinhos de lá pra cá.

Mas nessa manhã rolou um estresse de verdade entre as duas facções.

No inicio da manhã os traficantes da Nova Holanda (CV) abriram fogo na divisa com a Baixa do Sapateiro (TCP) pegando todos de surpresa.

Não bastasse apenas abrir fogo no "valão", o grupo do CV entrou na Baixa do Sapateiro (TCP) e matou um dos soldados dos rivais.


O traficante era conhecido pelo apelido de Rato. Ele era da baixa hierarquia da Baixa do Sapateiro (TCP).

Os traficantes da Nova Holanda ainda levaram um Fuzil e uma pistola, que estava no porte do Rato.

Pelo visto, era mais um segurança que ficava guardando posto na divisa.

Poderia parar por ai, mas dizem que os bandidos da Baixa do Sapateiro (TCP) querem levar adiante.

Boatos dão conta que irão invadir a Nova Holanda pela divisa, para vingar a morte do comparsa.

Seria um guerra ou um baque?

Difícil apontar.

A última vez que os bandidos do TCP pisaram na Nova Holanda, foram para abrir uma espécie de acordo de paz na divisa, liderado pelo traficante Menor P ou Astronauta.

Obviamente o pedido foi negado pelo Comando Vermelho, mas não pelos líderes da Nova Holanda, que até pensaram nessa opção.

A cúpula pressionou juntamente com os comparsas do Parque União (CV) e não foi feito acordo de paz, e continuaram com a rivalidade na fronteira.

Será que hoje vão estourar essa guerra prometida?

Lembrando que a Baixa do Sapateiro (TCP) é liderada pelo traficante TH, e o Complexo da Maré pelo bandido conhecido como Carrapato, um dos homens que respondem ao traficante Facão e Menor P, sócios de todas as comunidades da Maré.

Vamos aguardar.
O clima ainda continua quente entre os traficantes do Comando Vermelho contra o Terceiro Comando Puro, ainda por conta da perda do controle da Cidade Alta, em Cordovil, na zona norte do Rio de Janeiro.

Esse áudio não é novo, e faz semanas atrás.

Os traficantes do CV do Complexo da Penha ameaçaram o traficante Peixão e seu grupo da Parada de Lucas (TCP).

Alertando que a Cidade Alta será fácil para eles retomarem, e o próximo alvo será a área do Peixão em Vigário Geral e Parada de Lucas.

Aquela famosa guerra entre áudios, como está virando comum entre os criminosos do Rio de Janeiro.

Ouça no player abaixo.




Traficantes do CV ameaçando o TCP da Cidade Alta por 
Parece que aos poucos a situação criminosa está se acertando no Complexo do Caju na zona portuária, na zona norte do Rio de Janeiro.

Após a expulsão do traficante Sassá da facção ADA. Por um tempo o conjunto de comunidades ficou sem facção, porque optaram a ficar do lado do seu patrão.

Mas como informado, o próprio Sassá largou o crime e atribuiu suas áreas do Caju aos frentes e crias, deixando que os mesmos organizassem o crime da forma que acharem correta.

Ficar sem facção naquelas bandas não é a melhor pedida.

São cercados por áreas do Comando Vermelho, e principalmente pelo algoz, o TCP do Complexo da Maré.

Acontece que o tráfico do São Carlos (ADA) ofereceu uma proposta para os frentes do Caju.

Sem muitos detalhes, era um pedido de aliança e um retorno para facção ADA, ganhando todo apoio da facção.

Mas nem todos que compõem o tráfico do Caju gostaram dessa ideia, com receio de perder o controle do território para os chefes do São Carlos (ADA).

Segundo informações, atualmente o Caju possuí quatro nomes de importância no tráfico do conjunto de comunidades, e são conhecidos pelos vulgo de Remedinho, Bob, Riquelme e Sexta-feira.

Antes esses cargos eram ocupados pelos traficantes Limão do Caju (preso) e Playboy do Caju, morto pela própria facção por suspeita de golpe.

Playboy do Caju.


Bob seria o nome mais respeitado no Caju, e também pelos traficantes da facção ADA.

É um bandido que atuava no Caju desde o tempo do traficante Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê (morto), e está na rua há pouco tempo. Ele não é querido, mas é respeitado.

Limão do Caju (preso)


Já os outros nomes, não são bem vindos aos olhos da hierarquia do São Carlos (ADA).

Em especial o bandido de vulgo Remedinho.

Ele causa desconfiança aos chefões do ADA, porque era traficante do Terceiro Comando Puro, trocou de facção e ganhou rapidamente o cargo de frente, causando desconfiança.

E possuí problemas com a liderança do São Carlos, por um motivo não revelado.

Ele foi um dos entraves para aceitar um retorno para o ADA, e especialmente uma união com o São Carlos.

Segundo informações do Caju, nem todos estão entusiasmado com essa união com o tráfico do São Carlos.

Os bandidos em grande maioria são crias do Complexo da Maré e do Caju, e até hoje guardam magoas da guerra em 2009, onde perderam todo território da Maré para o TCP.

Na ocasião, os traficantes da Rocinha (ADA) e São Carlos (ADA) se negaram a enviar ajuda para expulsar o TCP e deixaram que os bandidos do Bonde do Coroa da Maré, guerreassem sozinhos até perder tudo.

Vamos aguardar até quando vai essa união.

O tráfico do Comando Vermelho recebeu um baque impressionante na noite desta segunda-feira no Complexo do Chapadão.

O foco foram nas comunidades de Anchieta.

Mas precisamente no Final Feliz (CV) reduto controlado pelo Davi (preso) e que teve vários traficantes de frente e todos caíram.

Entre eles, o Rd que largou o tráfico, o Periquito que morreu um confronto com a policia, e ontem caiu mais um.


Os policiais fizeram uma operação na Final Feliz (CV) e revidaram um grupo de traficantes.

Conseguiram atingir sete do grupo, entre eles estava o chefe do tráfico no Final Feliz (CV), o traficante conhecido como Grisalho.  Ele não morreu, mas foi detido e levado.

Morreram quatro homens do seu grupo, e mais dois foram feridos e encaminhados para delegacia também.

Em menos de horas menso 7 integrando no tráfico do Final Feliz.

Um tráfico que há 3 anos era considerado na hierarquia do Complexo do Chapadão, mas após a prisão do Davi, começaram as vacilações, roubos e atentados principalmente contra os Policiais da região.

Costumam dizer que naquela região existem dois Complexos do Chapadão.

O complexo de Costa Barros, onde tem hierarquia, ordem e organização, que são os territórios dos traficantes Fabiano (preso) e Bacalhau (preso).

Do outro lado, que compõem os bairros de Anchieta, Guadalupe e Ricardo Alburqueque, tem outro tipo de Complexo e com vários donos.

Sem muita organização, visando o lucro a todo custo, e excessos de roubos contra a própria população da região.
Não iria demorar muito para acontecer. Os traficantes da Rodrigues Alves (CV) e Parada Angélica (CV) começaram a se estranhar em Duque de Caxias.

Os bandidos decretaram a conhecida "regra de fronteira", ou seja, bandido de lá não pode atravessar para cá. Igual a situação que ficou por anos entre os traficantes da Vila Aliança (TCP) e Coréia (TCP) na zona oeste do Rio de Janeiro.

Mas por quê começaram a se estranhar!?

História um pouco longa.

Tudo começou quando os traficantes do Terceiro Comando Puro seduziram alguns bandidos da Santa Lúcia, e por intermédio do bandido conhecido como "Cinquenta", invadiram a Rodrigues Alves e Santa Lúcia, causando dores de cabeça pra o Comando Vermelho da região.


Na ocasião o patrocínio saiu das comunidades de Parada de Lucas (TCP) e Maré (TCP), e usaram o Parque Paulista como base. Lá em meados de 2014.

Quando o CV conseguiu retomar a ganhar a guerra, incrivelmente os bandidos voltaram a pular e pediram abrigo para o Comando Vermelho novamente, abandonando o TCP.

Como é difícil de acontecer no CV, aceitaram os crias de volta na Santa Lúcia, e por muito tempo ficaram vistos com maus olhos na facção.

O CV tem um estatuto rígido, e trocar de facção é uma atitude imperdoável entre os chefões. Mas vivemos em novos tempos, e quanto mais soldados tiver ao lado, melhor para eles. Por essa razão aceitaram de volta.

O pivô dessa decisão foi o traficante conhecido como Zidane, chefão da Parada Angélica, que é controlada por homens de confiança do Beira-Mar.

Nos últimos dias estouro outra desavença entre eles.

No meio do baile, os bandidos do Bonde da Parma, grupo do Paulo Muleta, e que hoje controlam a Rodrigues Alves, entraram no baile da Parada Angélica e causaram uma confusão.

Queriam levar alguns soldados do Zidade, chefe da Parada Angélica, alegando que eram responsáveis por alguns roubos sem autorização na região, e estava atrapalhando o tráfico na Rodrigues Alves (CV).

Zidane ou Bodinho.
Zidane se manteve firme na sua postura de chefe, e intercedeu, batendo de frente com o bonde da Rodrigues Alves (CV) e proibindo que saíssem com qualquer soldado da sua favela.

Houve uma discussão firme entre os dois grupos, e os Zidane alegou que da mesma forma que aceitaram eles (bandidos da Rodrigues Alves) de volta no Comando Vermelho, eles deveriam relevar os roubos dos seus soldados.

Alegou que não quis matar ninguém que voltou para o CV, mesmo com ordens em mãos para isso, e hoje querem matar os soldados dele por motivos banais (no entendimento do tráfico!).

Acabou que ninguém levou ninguém, mas esse debate causou uma discussão na região.

E ficou acordado que ninguém "atravessa" para o lado do outro.

Bandidos da Santa Lúcia estão proibidos de circular na Rodrigues Alves, e vice e versa, até sair uma decisão concreta entre os chefões das duas comunidades.

Lembrando que a Rodrigues Alves é controlada pelo Bonde da Parma, e a Santa Lúcia pelos homens de confiança do Beira-Mar.




Os traficantes do Terceiro Comando Puro do Complexo da Maré, neste final de semana acertou as contas com um chefe do tráfico da sua facção em São Gonçalo.

Este traficante que acabou caindo no tribunal do tráfico, era conhecido como Cheba, e organizava o tráfico nas comunidades da Alma (TCP) e 590 (TCP) recém tomado pelo TCP.

Aquelas comunidades eram fortalecidas pelo tráfico no Complexo da Maré, e pelos traficantes Th e Carrapato, um dos elos de ligação dos chefões da Maré.

O Cheba acabou sendo executado porque se meteu com um dos chefes preso, o traficante conhecido como Bill ou Mangolê.


Primeiramente ele entrou em desentendimento com o Bill (preso), e por conta disso, foi ordenado que acabassem a distribuição e fortalecimento da Maré para Alma e 590.

Sem parceria com os comparsas do Rio de Janeiro, os traficantes da Alma (TCP) procuraram o melhor investidor hoje da sua facção, o traficante Peixão da Parada de Lucas (TCP).

Sem esperar por uma resposta concreta da Parada de Lucas (TCP), o seu caso estava decido entre a hierarquia da Maré, e foi convocado para uma reunião na Vila do João (TCP), que é liderada pelo traficante Pescador ou Pescoço.

Ele foi executado por ordens dos chefões do TCP dentro da Vila do João.

Existe um segundo caso. Um desentendimento entre o Cheba e um parente que integra o tráfico de drogas.

Esse parente acusou o Cheba de ter lhe entregado para a Policia.

Entre os bandidos essa atuação é conhecida como X9 (informante) e geralmente não consegue ter perdão.


Um traficante que atuava no tráfico da Favela da Palmeirinha (CV) aplicou dois golpes seguidos e agora pulou o muro novamente.

Primeiro golpe ele trocou o tráfico da Palmeirinha (CV) por falta de condições, e integrou no Terceiro Comando Puro do Muquiço (TCP) em Guadalupe.

Logo nos primeiros dias de TCP, ele organizou uma invasão na Palmeirinha (CV), invadindo e matando alguns ex-comparsas.

Esse baque lhe entregou uma moral dentro da hierarquia do Muquiço, e estava com uma patente boa no Terceiro Comando Puro.


Mas se desentendeu novamente.

Sem um motivo aparentemente revelado, ele saiu do Muquiço (TCP) levando consigo um fuzil Ak 47, uma mochila com uma quantia de R$ 40 mil reais, 3 pentes de pistola glock e 15 cargas de drogas.

Ele ocupava o cargo de abastecedor no Muquiço (TCP), e aproveitou um vacilo da segurança e saiu com esses artefatos da favela.

Segundo informações, ele brigou com alguns gerentes do tráfico no Muquiço, por não entender as regras que ditam o tráfico do TCP, que são diferentes das regras do CV.

Até agora correm boatos que esse traficante levou todo esse material para o lado da facção ADA, integrando a quadrilha que atua no Complexo da Pedreira, em Costa Barros.

No Comando Vermelho ele não é bem visto, e a única saída se for continuar atuando como traficante, era aceitar as propostas da facção ADA.

Vamos aguardar.


3 dias sem o total efetivo de policia nas ruas do Rio de Janeiro, ou melhor, nas comunidades da cidade. Até o momento não houve algum relato de guerra.

Sabemos que as facções vivem trocando tiros entre si, fugindo de policia quando estoura operação no morro e etc.

Os principais medos com a falta de policia efetiva nas ruas, era estourar uma guerra global do tráfico na cidade.

Principalmente em territórios onde as facções se dividem.

Ilustrativa.

Mas até agora nada!

Um pequeno estresse aconteceu na comunidade da Cidade Alta em Cordovil, hoje controlada pelo Terceiro Comando Puro.

Naquela região, quem atua são os policiais do 16º Bpm, que até o momento possui manifestantes impedindo a saída dos policiais.

Comando Vermelho, a facção expulsa da Cidade Alta e que abriu muitas guerras nesses últimos meses. Está concentrado na 5 Bocas e até agora só ameaçou que iria invadir, e mais nada.

Geralmente as invasões estão acontecendo aos finais de semana.

Houve relato de tiros na entrada da Pica-Pau, mas nada de tão alarmante.

houve também relatos de tiros na comunidade da Proença Rosa e Mundial (CV) em Honório Gurgel, mas nada de tão alarmante.

Até na Nova Brasília (CV) em Niterói, os bandidos começaram a dar rajadas para o alto, mas sem algum intenção de invasão.

Mas vale ressaltar que os policiais do Caju continuam sufocando o tráfico na comunidade, como aconteceu pelo menos duas vezes nessa semana.

No entanto, tudo tranquilo.

Sabemos que dentro das comunidades a policia não se faz necessária aos olhos dos moradores.

Por lá existem traficantes fortemente armados, que ditam as regras, fazendo a própria segurança dos moradores. Como eles dizem.

Para os moradores de comunidades, as manifestações até agora não atrapalharam o seu dia-a-dia sofrido.

Já nas ruas do Rio de Janeiro, houve saqueamentos e roubos em alguns pontos.

Acharam que iria acontecer uma barbárie pior que no estado de Espirito Santo, mas nesses 3 dias, nada de tão grave aconteceu, que possa ser noticiado na mídia.

Será que permanecerá?
Os traficantes do Morro da Providência (CV) começaram a impor as ordens no pé do morro, já que a UPP está fragilizada na comunidade.

Segundo informações e foto enviada por leitor.

O tráfico colocou uma placa proibindo o acesso de qualquer um na Providência.

Apenas morador pode subir até o morro.

Até os moradores estão sem entender essa decisão do Dão da Providência, pois nunca implicaram com ninguém.

Nos últimos dias os confrontos com a Policia é intenso.

Há quem diga que os rivais da facção ADA do Complexo do São Carlos estão ameaçando entrar na Providência.

Essas ameaças existe há anos.


Com o clima tenso para cima do tráfico no Complexo do Caju, traficantes da facção ADA dão proposta para os frentes das comunidades da zona portuária.

Como sabemos, hoje o Caju não possuí o aporte financeiro e assistencial da facção ADA, tudo por conta da tentativa de golpe do traficante Sassá na Favela da Quitanda (ADA) em Costa Barros, na zona norte-RJ.

Essa decisão gerou muito atrito dentro dos presídios e alas do ADA.

Chefões da facção se manifestaram, e deram apoio para o dono da Quitanda (ADA) e repreenderam a decisão do Sassá e dos seus subordinados, que apenas atenderam as ordens nas ruas.

Final de tudo.

Sassá não deu motivos para querer a Quitanda (ADA), e nas reuniões entre os chefões da facção, ele saiu como errado e com pouco apoio.

Deram um ultimato para ele largar todas as comunidades, ou então trocava de facção.

Para o azar dele, os seus homens que estavam controlando suas comunidades da Pedreira, Lagartixa, Caju, Machado e São Leopoldo, são ligados a facção ADA e não demonstraram desejo de sair da facção.

Resumindo.

As comunidades do Sassá foram rateadas entre os "frentes" que lá estão, e ele não possuí nenhuma ligação com qualquer comunidade.

O comando da Pedreira ficou para os traficantes Pagodeiro e Tiazinha, homens que participava da hierarquia do Coroa no Complexo da Maré, antes do TCP invadir e tomar em 2009.

O morro da Lagartixa ficou sob comando do traficante Raro ou Boneco. Bandido que sempre foi da confiança dos chefões, e é praticamente um aluno do traficante Playboy (morto) bandido que foi chefão no Complexo da Pedreira até 2015.

Os morros do Machado e de São Leopoldo em Belford Roxo, ficaram com os crias e os frentes.

Só restou o Caju, que ainda permanece com os frentes que são crias da comunidade, e são membros familiares do Sassá.

Segundo informações, o próprio Sassá largou a chefia do Caju, deixaram para seus subordinados decidir o futuro da forma que quiser.

Aproveitando essa brecha, onde o Caju não possuí assistência e nem ajuda de alguma facção, os bandidos do São Carlos (ADA) fizeram uma proposta para pegar o comando do Caju.

Quem se ofereceu foi o traficante Coelho (preso) chefão do São Carlos, por intermédio do seu frente, conhecido como Danado ou Empada.

Entraram em contato com os frentes para fazer a mesma proposta que fizeram na Pedreira, não querendo o comando da comunidade, apenas na parte do patrocínio de armas e drogas, em troca, um lucro na porcentagem.

Os bandidos do Caju não gostaram da proposta.

Principalmente o traficante conhecido como Remedinho, que seria um dos frentes com mais "moral" dentro do Complexo do Caju.

Mas sabem que se ficarem sem facção, uma hora ou outra as facções do TCP e CV vão se aproveitar, a não ser que eles escolham o lado dos rivais.

Decisão que será muito difícil de acontecer.

No meio de tudo isso, essas operações constantes para enfraquecer e coibir o tráfico do Caju.

Vamos aguardar.


loading...